Como Usar GHP na Carreira Acadêmica?

Este post é uma resposta ao depoimento abaixo, enviado pelo internauta T.C. ao nosso e-mail [email protected]horseprocess.com.br.

Sou estudante de mestrado e estou no meu último ano. Meu orientador é um fervoroso seguidor dessas porcarias organizacionais em que sua sala mais parece almoxarifado de tantos relatórios e documentos inúteis.

A escolha desse orientador foi direcionada pela necessidade de burlar simpatizantes da mesma filosofia que organizam um curso pago pelo governo (certificação internacional), portanto fingir ser um deles, me permitindo a posteriori ingressar numa empresa em posição próxima ao círculo de confiança.

Contudo, não bastando as preocupações da vida, sei que o projeto idealizado por ele não será finalizado por 2 razões:

– Ele é um sonhador honesto;
– Ele já deu esse mesmo projeto para um outro aluno que não concluiu no prazo.

Minha dúvida é como, tomando o universo de fantasia acadêmico, culpar alguém ou algo pela extensão (ad infinitum) para o prazo do projeto.

Perceba que como sou o único Horse (temporariamente) do projeto, vou precisar de uma estratégia para culpar meu superior do meu insucesso.

Como fazer isso de modo eficiente, equipe GHP?

Caro internauta,

Muito obrigado pelo seu e-mail, ele apenas enriquece este fórum democrático que é o site do Go Horse Process.

Antes de responder à sua pergunta, gostaria de adverti-lo quanto à sua estratégia para entrar no Círculo da Confiança. Nós, do board do GHP, não indicamos o mestrado como a melhor maneira para tal.

Pense bem: obtendo o grau de Mestre, você se tornará um profissional ainda mais especializado, capaz de realizar tarefas mais complexas. Por outro lado, ao ser promovido a um cargo de gerência, você é automaticamente excluído do ciclo produtivo e entra em um grupo seleto que goza da prerrogativa de ganhar mais para trabalhar menos, ou até mesmo não trabalhar. Se você fosse o seu chefe, lhe promoveria, abrindo mão de um funcionário-chave?

Em breve, publicaremos um post com dicas de como entrar no Círculo da Confiança, mas por enquanto posso lhe dizer que o tempo e dinheiro que você aplica no mestrado poderiam ser investidos em idas ao puteiro com o seu chefe.

Agora, respondendo à sua pergunta: a sua situação é de desvantagem, pois você está partindo da premissa errada de que não há GHP no meio acadêmico. Muito pelo contrário – as equipes de pesquisa em universidades são exemplos da eficiente aplicação do GHP. Explico:

Como orientando, você está a serviço da pesquisa do seu orientador. A cada artigo publicado, é o nome dele que aparece primeiro. Em cada congresso internacional que acontece, é ele quem apresenta o trabalho à comunidade acadêmica. Mas quem trabalha mais duro no projeto em questão, ele ou você? A resposta é óbvia.

Em uma estrutura GHP eficiente (como é o caso da maioria das universidades) o horse não tem vez.

Quanto à atribuição da culpa pelo insucesso, não se preocupe com isso, uma vez que o projeto é financiado pelo governo, o que torna o prazo um fator irrelevante.

Mas não desanime. Esse período de trabalho árduo é uma experiência única, pois quando você trocar de lado saberá explorar o seu orientando com maestria.